6 tipos de cisto no ovário: quais são e o que causam em você


O cisto no ovário é um problema que afeta muitas mulheres e, em alguns casos, pode até mesmo levar à infertilidade. Mas, segundo o ginecologista e obstetra Domingos Mantelli, é necessário primeiro identificar o tipo de cisto, pois cada um deles tem características, tratamentos e consequências diferentes.

Os cistos funcionais são os mais simples, que aparecem por conta do ciclo menstrual e podem ou não crescerem e se transformarem em um cisto hemorrágico. Nessa categoria, há três tipos de cisto, o folicular, o de corpo lúteo e o hemorrágico. Já os cistos dermoides, adenomas e endometriomas independem do ciclo menstrual da mulher e, por isso, costumam ser mais preocupantes.

Tipos de cisto



Cisto folicular

O ovário forma um folículo para ovular. Mas, se neste ciclo a mulher não ovular, o folículo vai formar um pequeno cisto. “Não tem problemas, não traz repercussões e, normalmente, no ciclo seguinte, ele regride”, explica. Pode acontecer de aparecer num ultra-som de rotina, mas só quer dizer que no ciclo anterior ela não ovulou, nada além disso. “Se ele romper, pode ter um pouco de líquido no abdômen e dar um pouco de dor, mais não é muito comum”, diz.

Cisto de corpo lúteo

Nas primeiras semanas de vida do bebê, quando ainda não tem placenta, é o óvulo liberado do folículo na ovulação que irá nutrir o feto. Só que, se a mulher não engravidou, ele cresce e forma o cisto de corpo lúteo (amarelo), que vai ficar por aproximadamente dois meses até regredir e voltar ao normal. “Acontece sempre e é por isso que as mulheres, geralmente, reclamam de uma pequena dor no período ovulatório. É exatamente quando esse cisto pode romper e cair um pouco de líquido no abdômen. Mas não traz nenhuma complicação, não é preciso fazer nada”, explica.

Cisto hemorrágico

É a complicação do cisto de corpo lúteo que, ao se romper, também rompe um vasinho sanguíneo, dando origem ao cisto hemorrágico. “É um cisto cujo conteúdo é sangue. Ele vai crescendo até romper e, quando rompe, cai sangue na cavidade abdominal, o que gera muita dor e faz com que a mulher tenha que ser operada de emergência, pois pode dar uma infecção e uma complicação muito comum ao crescer, podendo se torcer e ficar preso no ovário. Se isso acontece, o sangue para de ser passado ao cisto e ele acaba necrosando (morrendo), o que causa o ‘abdômen agudo’, que necessita de cirurgia de emergência e dá muita dor”, alerta.

Cisto dermoide ou teratoma de ovário



É considerado um cisto, mas, na verdade, é um tumor benigno de ovário, muito comum em mulheres na idade reprodutiva, que surge devido a um crescimento desordenado de células. “Dentro dele há células germinativas, que conseguem se diferenciar em qualquer tecido do organismo e crescem desordenadamente. Ao operar e tirar o cisto, dentro dele pode haver cabelo, dente, pedaços de ossos, sebo, glândulas. Se ele romper, todo o conteúdo vai cair no abdômen e pode gerar infecção, causando uma dor muito forte. O diagnóstico é através de ultra-som e a indicação nesse caso é de cirurgia, geralmente por videolaparoscopia”, diz.

Cisto adenomas

Também é benigno, mas o conteúdo não é cístico, porque quando se fala em cisto, o conteúdo tem que ser líquido. Nesse caso, o conteúdo é denso, meio seboso, gorduroso, rígido e se parece mais um nódulo do que um cisto. “Se for pequeno, pode haver somente acompanhamento, por que pode ser que ele nunca cresça. Mas se perceber que ele vem crescendo gradativamente, é indicado tirar, porque há risco de torção”, afirma.

Endometrioma

Quando a mulher menstrua, a camada do endométrio descama e sai como menstruação. Mas uma parte dela pode refluir pelas tubas, cair na cavidade abdominal e se fixar no ovário. “Esse tecido endometrial pode se encapsular e formar o cisto. Deve ser operado, principalmente na mulher que quer engravidar”, orienta.

Vimos em Bolsa de Mulher

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PUBLICIDADE

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...